Por Everlando Mathias
28/03/2019 - 18:08:24 - atualizado em 28/03/2019 às 18:59:01

Comissão da Assembleia Legislativa debate fortalecimento da agricultura familiar

02

A Comissão de Agricultura e Abastecimento (CAB) da Assembleia Legislativa solicitou a Secretaria Estadual de Meio Ambiente (Sema) informações referentes as áreas de zoneamento ecológico do Estado. A requisição acontece por meio de requerimento aprovado na sessão desta quinta-feira (28/3/19).

"É uma necessidade resolver a situação do zoneamento ecológico do Estado que dará um regramento definido onde cada tipo de produto pode ser produzido, dando segurança jurídica para que o banco possa financiar os produtores que queiram investir na produção agrícola no Amapá", frisou o autor da proposição deputado Jesus Pontes (PTC), destacando que o tema é discutido há 30 anos. 

O Projeto Uniformização do Zoneamento Ecológico-Econômico da Amazônia Legal (UZEE), que aponta quais as áreas aptas para o plantio de espécies produtoras de energia em todos os estados da Amazônia Legal e implementa um sistema integrado de informações sobre a região, está sendo coordenado no Estado do Amapá pela Embrapa. 

De acordo com o órgão, no Amapá a área antropizada - que sofreu alteração no solo, na vegetação - é cerca de 34 mil km², o que corresponde a aproximadamente 2% do total da área observada pelo projeto nos nove estados. Nelas estão concentradas as principais atividades produtivas do estado.

A vice-presidente da comissão, deputada Cristina Almeida (PSB), sugeriu convidar os representantes dos órgãos envolvidos no processo para expor aos deputados na próxima quarta-feira, 3 de abril, qual a conclusão até o momento do projeto no Amapá.

"Este foi o primeiro tema colocado em pauta para discussão na CAB há quatro anos, com a presença dos representantes da Embrapa e Imap, que sinalizaram que faltava menos de 10% para concluir o zoneamento no Estado", destacou a deputada.  

Durante a sessão os membros da comissão abriram espaço ? a pedido da deputada Cristina Almeida ? e debateram com o presidente da Federação dos Trabalhadores e Trabalhadoras Rurais do Amapá, Jozenildo Monteiro Alves e o vice-presidente da federação, Célio Alves, sobre o fortalecimento da agricultura familiar, buscando políticas públicas de permanência do homem do campo e a comercialização e escoamento da produção.

"Os produtores têm dificuldades para produzirem e escoarem os produtos para serem comercializados nas feiras de Macapá e Santana", desabafa o presidente da federação, que solicitou o apoio da comissão para encontrar uma forma de manter o homem no campo com o seu sustento próprio e evitar o êxodo para a cidade e inchando as áreas de ressacas. 


Fotos: Gerson Barbosa

Facebook Twitter Google+ Email Addthis
DEPUTADOS