Por Everlando Mathias
04/04/2019 - 08:31:17

Comissão da Criança e do Adolescente cobra local de atendimento a criança com autismo no Estado

01

Em sessão realizada na manhã desta quarta-feira (3/04/19), membros da Comissão da Criança e do Adolescente e da Assistência Social (CCA) da Assembleia Legislativa, colocaram em pauta a discussão sobre o atendimento as crianças com autismo no Estado. 

De acordo com o deputado Jaci Amanajás (MDB), no Amapá não existe um setor especializado para identificar a síndrome de autismo e trabalhar a criança. Diante da situação, o parlamentar sugeriu que a comissão encaminhe ao Governo do Estado requerimento verbal, aprovado na comissão, solicitando a criação de um grupo multidisciplinar, composto por pediatra, neurologista, fonoaudiologista e fisioterapeuta para diagnosticar e trabalhar a criança com autismo. 

"O tratamento é muito importante para o desenvolvimento da criança autista. Quanto mais cedo for diagnosticado o problema e quanto mais cedo o tratamento, mais fácil ao portador da síndrome levar uma vida beirando à normalidade", sustenta o parlamentar

Os autistas, diferentemente dos portadores da síndrome de Down, são frequentemente confundidos com portadores de outros transtornos, como a esquizofrenia. São crianças com dificuldade de comunicação, de respostas aos estímulos, afastadas da realidade que as cerca. "Em alguns estados é o Centro de Atenção Psicossocial para Álcool e Outras Drogas - CAPS AD, que faz atendimento a crianças portadoras de autismo", destacou Jaci Amanajás. 

Para o presidente da comissão, deputado Diogo Sênior (PMB), existe um preconceito da própria família que tem filho com autismo. "Algumas pessoas isolam a criança da sociedade com medo da reação das pessoas", frisou, apoiando a iniciativa do deputado Jaci Amanajás. 

Na avaliação do deputado Dr. Negrão (PP), o tema é bastante abrangente. A dificuldade do diagnóstico da criança com autismo não é apenas uma peculiaridade do Amapá, existe em quase todos os estados. "Os sintomas são variados e temos apenas dois neuropediátrico para atender essa demanda", ressaltou o deputado. 

Diogo Sênior sugeriu que a comissão elabore um organograma de visitas técnicas aos locais de atendimento e defesa a criança e adolescente no Estado. 


Foto: Gerson Barbosa

Facebook Twitter Google+ Email Addthis
DEPUTADOS