Por Simone Alves
18/04/2019 - 16:28:24 - atualizado em 23/04/2019 às 10:51:19

Parlamentares da Comissão de Meio Ambiente inspecionam barragens do Amapá

07

Integrantes da Comissão de Meio Ambiente (CMA) da Assembleia Legislativa do Estado do Amapá, Dr. Victor Amoras (REDE), Oliveira Santos (PRB) presidente e vice-presidente, respectivamente, junto à deputada Telma Gurgel(PRP), representando a presidência da instituição, cumpriram um cronograma de inspeção preventiva às barragens localizadas no centro-oeste do estado.

A primeira a ser visitada foi a mineradora Zamin Ferrous, onde encontraram o seu parque industrial desamparado e, conforme o coordenador da defesa civil municipal, SUBCMT Marinho, a empresa está abandonada há cinco anos e possui barragens com cerca de 18 milhões de metros cúbicos de lama com rejeito de minério de ferro, mas se algo repentino acontecer o prejuízo será apenas ambiental. Na ocasião, também estiveram presentes o secretário municipal de meio ambiente, Saymon Abreu, e o chefe executivo da coordenação de defesa civil municipal, GCM Pinheiro, todos de Pedra Branca do Amapari.
"Como ex-presidente da comissão de meio ambiente posso dizer que já estávamos fazendo esse trabalho de fiscalização. Nossa maior preocupação é que como está há cinco anos sem manutenção, conforme foi nos informado, ela já está no ultimo grau de risco", informou o deputado Oliveira Santos.

Segundo o secretário municipal de infraestrutura, Daniel Ferreira, "o município não tem capacidade técnica para fazer estudo, nem de dizer se está perto de acontecer. Não temos engenheiro. Temos dificuldade em não termos profissionais no estado".
"O nosso papel quanto parlamentar é conversar, fiscalizar, cobrar e fazer o governo judicializar para que o responsável venha ao Amapá, fazer uma defesa deles dentro da embaixada, no país deles. Mas acredito que seja um problema que o governador já esteja resolvendo", analisa deputada Telma.

Para o secretário Saymon Abreu, a visita dos parlamentares reforça as ações na prevenção de acidentes com barragens. ?Nossa preocupação maior aqui no município é com a empresa Zamin, que hoje está abandonada e onde não recebe nenhum tipo de monitoramento. Mostramos durante a visita a situação como se encontra o espaço?, disse.

Já na visita à Beadell Resources, que opera a mina de ouro do Tucano, no mesmo município, a 183 quilômetros de Macapá, está em fase de transição, sendo a maior parte de suas ações adquiridas pela empresa canadense, Great Panther Silver. Com isso, passa por modernização para produzir cerca de 3,5 milhões de toneladas de minério. Conforme o geólogo Anderson Jastes, que acompanhou os deputados, há 4 tipos de vistorias: diária, semanal, quinzenal e mensal. Sendo estas cumpridas com precisão, utilizando-se um drone para agilizar o processo. O funcionário, garantiu também que em agosto será realizado um simulado com objetivo de instruir comunidade que será prejudicada, caso aconteça um sinistro.

"Estamos convidando empresas e moradores das casas que serão afetadas, caso haja alguma anormalidade, para que ambos possam estar preparados e saber como agir", avisa geólogo Anderson Jastes.
?Nossa preocupação para estarmos visitando as empresas é conseguir fazer um relatório, para que junto ao governo do estado, façamos a manutenção da barragem da Zamim, que está há tanto tempo abandonada?, atenta a deputada Gurgel.

Na visita à Usina Hidrelétrica Coaracy Nunes, que fica a cerca de 15 km distante de Ferreira Gomes e a 150 km de Macapá e utiliza o potencial hídrico do rio Araguari para gerar energia para o estado desde 1975.

"Nós temos o PAE, plano de atendimento de emergência, que vai informar o que pode acontecer, o que ele pode atingir e o que evitar caso ocorra. Aquela barragem de mineração no verão precisa tirar no verão o resíduo, para caracterizar o que tem realmente lá. Tem que fazer a manutenção, medida de pressão, de drenagem, investigar se está tendo alguma infiltração", adianta o técnico Willington Gomes, sobre a barragem da mineradora Zamim.

"A princípio o que se vê é um prejuízo ambiental, mas é muito importante criar barreiras para que minimizar os resíduos no caminho, para quando chegar nas usinas venha o mínimo possível, pois não temos como parar as usinas. No máximo, fazer algumas manobras, como o rebaixamento ou a abertura do vertedouro em caso de alta intensidade", expõe a técnica Karen Tito.
Por fim, os parlamentares visitaram também a hidrelétrica Ferreira Gomes Energia, onde foram recepcionados pelo engenheiro elétrico Raphael Tizzo que informou que há vistorias semanais com consultor técnico que analisa os dados e emite relatório mensal. "Nossa operação está 100%. Em setembro tivemos a fiscalização da ANEEL, que nos considerou uma barragem de baixo risco, porém de um grande dano potencial. Mas após o ocorrido em Brumadinho, também estiveram aqui uma comissão do ministério público federal, estadual e defesa civil buscando informações da atual situação da hidrelétrica", garantiu Raphael.
A empresa possui uma potência instalada de 252 MW, o suficiente para atender uma cidade de cerca de 700 mil habitantes e está no estado há cinco anos.


Fotos Iranilson Soeiro

Facebook Twitter Google+ Email Addthis
DEPUTADOS