Por Bianca Andrade. Gab. Dep. Cristina Almeida
25/06/2019 - 15:57:47 - atualizado em 25/06/2019 às 15:59:26

A importância da Medicina Natural e tratamentos alternativos na vida das mulheres

07


Toda semana o programa Banca Feminina da Rádio Assembleia (93.9 FM) apresenta temáticas váriadas para serem dialogadas com as deputadas da Alap, seus convidados e ouvintes. Nesta segunda-feira (24) quem esteve à frente foi a deputada estadual Cristina Almeida (PSB), acompanhada do biomédico, professor e técnico do Núcleo de Plantas Medicinais do Iepa, Maurício Cordeiro; da fisioterapeuta e doula, Natasha Vilhena, e da parteira Rossilda Joaquina, cujo tema pautado foi a medicina natural e os tratamentos alternativos na vida das mulheres.

Contextualizou-se os valores empregados a esses métodos tradicionais que trazem a cura, o equilíbrio e o bem estar para o corpo e a mente, ressaltando a Política Nacional de Práticas Integrativas e Complementares (PNPIC) no Sistema Único de Saúde - SUS, desenvolvida pelo Ministério da Saúde, que validou o uso das plantas medicinais como terapia segura.

Cristina falou de seus projetos e do apoio a essas bandeiras, em destaque ao parto humanizado, a regulamentação e o exercício das profissionais doulas no estado do Amapá e da campanha de conscientização, em parceria com Frente Parlamentar Interestadual em Defesa dos Direitos da Pessoa com Epilepsia, da Unale, dos potenciais medicinais e terapêuticos do canabidiol e a regulamentação do tratamento.

Maurício falou das atividades desempenhadas pelo Iepa em quase três décadas e de projetos estabelecidos, em especial, com o Centro de Referência em Práticas Integrativas e Complementares em Saúde do Estado do Amapá (Cerpis).

"Conseguimos levar dois produtos elaborados pelo Iepa, o antiflamatório "Pomada de Copaíba" e a "Tintura de Sacaca" recomendado para tratamento de colesterol, que em breve serão disponibilizados gratuitamente, e isso é um grande passo", informou.

Para a explicar a diferença de doula e parteira, Natasha sintetizou que as parteiras prestam assistência para a mulher, auxiliando no nascimento, geralmente nas comunidades mais distantes e que não possuem equipe médica, enquanto as doulas atuam com apoio físico e psicológico, não fazem procedimento nem interferem na conduta do médico, enfermeiro ou parteira.

Rossilda relembrou sua história e os cuidados como parteira. "A gente tem esse dom que não é estudado. Esse dom veio, foi dado por Deus", destacou.

O Bancada Feminina também contou com um link com a pesquisadora do Iepa, Terezinha de Jesus Soares, que relatou sobre a tecnologia social "Farmácia da Terra", o uso de plantas medicinais, certificada e premiada pelo Prêmio FBB de Tecnologia Social em 2003, entre outros.

Fotos: Bianca Andrade Gab. Dep. Cristina Almeida

Facebook Twitter Google+ Email Addthis
DEPUTADOS