Por Everlando Mathias
29/08/2019 - 09:10:43 - atualizado em 05/09/2019 às 09:10:58

CRE debate com associações projeto que prevê a retirada da língua francesa da grade curricular das escolas da rede pública

02

Membros da Associação dos Professores de Francês do Amapá (Aprofap), participaram da reunião da Comissão de Relações Exteriores e Defesa do Estado (CRE), da Assembleia Legislativa, e pediram ajuda quanto o futuro da categoria, em decorrência de informações de que a Língua Francesa estaria sendo retirada da grade curricular das escolas pelo Governo do Estado. ?Caso essa informação seja consolidada, vai gerar problemas para as escolas, em decorrência da desorganização do projeto que normatiza a obrigatoriedade da Língua Inglesa por meio da Base Nacional Comum Curricular (BNCC) nas escolas?, ressaltou a presidente da associação, a professora Maria Doraci Guedes.

Segundo Maria Guedes, os avanços conquistados com a formação em Licenciatura Plena na Língua Português-Frances, nas universidades Federal e Estadual, por conta do tratado de cooperação entre Brasil e França (Amapá e Guiana) e o espaço Francófono da Universidade Federal do Amapá (Unifap), vinculado à Rede da Francofonia nas Américas que reúne as instituições membros da Agência Universitária da Francocofonia (AUF) com a finalidade de promover o intercâmbio acadêmico, cultural e cientifico, além de proporcionar a difusão de expertise e iniciativas empreendedoras entre discentes, técnicos e docentes-pesquisadores francófonos.

Segundo a presidente da Aprofap, cerca de 300 professores estão exercendo a profissão em todo o Estado. ?Estamos pedindo a ajuda dessa comissão para aprovar projeto que tramita no Executivo Estadual, tornando obrigatório a disciplina da Língua Francesa nas escolas públicas?. De acordo com a presidente da CRE, deputada Cristina Almeida (PSB), a ausência da disciplina de francês no referencial curricular amapaense é um retrocesso. ?Somos um Estado localizado na fronteira com a Guina Francesa e não entendemos a justificativa do governo, por intermédio da secretaria estadual de Educação, retirar essa disciplina?, questionou a deputada.  
  
A Língua Francesa foi incluída na grande curricular nas escolas da rede pública estadual a partir de 1999, após a inauguração do Centro Estadual de Língua e Cultura Francesa Danielle Mitterrand, em Macapá, para habilitar pessoas na língua francesa. A iniciativa foi considerada uma criação ousada em termos de ensino de uma língua estrangeira nos moldes e padrões de uma boa escola privada de línguas.
 
A deputada Cristina Almeida garantiu que o tema será discutido com o Governador do Estado. Os presidentes das comissões CRE, Educação e Direito Humanos (CDH), irão solicitar do governador Waldez Góes, o encaminhamento de um o projeto para apreciação na assembleia Legislativa que torne obrigatório o francês nas escolas da rede pública amapaense. ?Pra nossa realidade temos obrigatoriamente de falar o francês?, finalizou a deputada Cristina Almeida.

Participaram da reunião, além dos deputados Dr. Jaci e Jaime Perez (PTC), a diretora Cultural da Aprofap, Maria Casaces, Jaqueline Reis e Kelly Day.


Fotos: Gerson Barbosa

Facebook Twitter Google+ Email Addthis
DEPUTADOS