Por Emerson Renon
24/09/2019 - 11:42:39 - atualizado em 10/12/2019 às 11:17:37

Depressão é debatida na reunião da Comissão de Saúde da Assembleia Legislativa

07

A Comissão de Saúde (CSA) da Assembleia Legislativa aprovou o parecer que estabelece na rede pública de saúde o diagnóstico e tratamento da síndrome da depressão. A matéria, foi amplamente debatida na reunião da comissão no plenário Dalto Martins, nesta terça-feira (24/9/2019). Para o relator da propositura, deputado Dr. Jaci (MDB), a depressão é a doença mais intensa no país e a fase mais profunda leva ao suicídio. ?Muita gente se mata por depressão por entender que a única solução é a morte; é preciso ter uma frente no serviço público para combater essa epidemia que está se instalando no mundo?, ressaltou.

O relator atenção para os atendimentos ambulatoriais e internações no Sistema Único de Saúde (SUS) relacionados à depressão, principalmente relacionados aos jovens. Segundo ele, os serviços cresceram 52% entre 2015 e 2018, passando de 79.654 para 121.341. Na faixa etária de 15 a 29 anos, o crescimento foi de 115%, segundo um levantamento do Ministério da Saúde divulgado na semana passada

"A depressão às vezes ela não é compreendida?, destacou o parlamentar. "As pessoas diminuem a importância, eventualmente, de um drama pra um adolescente que, em tempos de internet, é super amplificado". Em 2019, dados parciais mostram que já foram feitos, no SUS, 49.176 atendimentos relacionados à depressão e 16.311 internações.

Entre 2011 e 2018, foram notificados 339.730 casos de violência autoprovocada, 33% deles classificados como tentativa de suicídio. Jovens entre 15 e 29 anos representam 45% do total. Os estudantes são 30% dos casos notificados, logo após vêm as donas de casa, com 23% das notificações.

Os deputados Dr. Negrão (PP), presidente da CSA, e Paulinho Ramos (PL), acompanharam o voto da relatoria e parabenizaram a deputada Telma Nery (PSDB) pelo projeto. Os parlamentares, também, debateram sobre o Programa de Saúde no Trabalho dos agentes de segurança pública. A propositura, de autoria do deputado Paulinho Ramos, cobra maior assistência por parte do estado aos servidores que atuam na segurança, principalmente, os que estão atuam nas ruas.

?Nós analisamos os índices de suicídio, de criminalidade, os de abandono de emprego por parte dos servidores de segurança pública e o projeto vem para combater isso por meio do psiquiátrico, psicólogo, de terapias para que o profissional que está todos os dias nas ruas possa receber a assistência adequada, afinal, diariamente eles sofrem com esse estresse de ter que prender ou até mesmo matar alguém para se proteger e isso, de certa forma, pode causar no profissional depressão e sem a assistência necessária possa atentar contra a própria vida ou mesmo cometer outras fatalidades?, explicou o autor da matéria.

O projeto, caso aprovado em plenário e sancionado pelo governador, contemplar policiais civil, militar e agentes penitenciários, além de todos os servidores da segurança pública. Na mesma reunião, os deputados debateram sobre à transparência das filas de espera de pacientes pelo Sistema Único de Saúde nos estabelecimentos da rede de rede pública de saúde, por meio da internet, de autoria do deputado Dr. Furlan (PTB). De acordo com o parlamentar, existe um déficit na transparência o que pode prejudicar o coletivo. ?Necessita de transparência para saber como está sendo feito o trabalho?, alerta o presidente da CSA, deputada Dr. Negrão.

Os deputados aprovaram ainda a visita ao Samur, nesta quarta-feira (25). A meta é coletar informações sobre as condições e o funcionamento.


Fotos: Gerson Barbosa

Facebook Twitter Google+ Email Addthis
DEPUTADOS