Por Eloisy Santos
09/12/2019 - 10:35:08 - atualizado em 09/12/2019 às 11:38:13

"Natal Azul no Meio do Mundo" provoca a conscientização social sobre o autismo

02

O Monumento Marco Zero do Equador recebeu cerca de 300 pessoas - entre autistas e familiares - que celebraram o "Natal Azul no Meio do Mundo". O momento foi de conscientização social sobre o Transtorno do Espectro Autista (TEA) e de confraternização da comunidade autista.

A ação foi realizada pela Associação Santanense de Pais e Amigos dos Autistas (Assande), em parceria com o mandato da deputada estadual Marilia Góes (PDT) - que também é representante do Movimento Orgulho Autista Brasil (Moab) no Amapá.

O evento contou com jogos sensoriais - de estímulos auditivos, táteis, visuais e motores aos autistas; exposição fotográfica retratando o cotidiano de crianças e adolescentes autistas; atividades recreativas e outras. Ao anoitecer, o Monumento Marco Zero foi iluminado de azul - a cor representa o transtorno autista - e assim permanecerá por todo o mês de dezembro, chamando atenção para o tema.

"Um ato pela conscientização sobre o autismo; pela luta por mais direitos assegurados; pelo respeito e pela inclusão social que as pessoas com TEA precisam e merecem. Foi mágico, foi lindo, foi renovador! Vamos seguir em frente, levantando a bandeira da informação e do conhecimento sobre o transtorno, para o combate ao preconceito e por mais qualidade de vida aos nossos anjos azuis", frisou Marilia Góes.

Glauciane Neves, mãe de Gabriele e Felipe, crianças autistas, externou a sua satisfação com o evento. "Só quem tem uma pessoa autista na família sabe da luta, dos desafios diários, e da importância que eventos como esse possuem. Esse momento vai ficar marcado na memória das dezenas de famílias que participaram. Nossos corações transbordam de gratidão", comemorou Glauciane.

A presidente da Assande, Cristiane Barbosa falou da conscientização social como instrumento fundamental para a comunidade autista. "O Monumento Marco Zero é símbolo de turismo, de divulgação no nosso estado. Chamar a atenção da sociedade para o tema é essencial. As pessoas precisam saber e aceitar que há pessoas autistas no Amapá e que elas tem direitos tanto quanto pessoas não autistas", enfatizou Cristiane.

A exposição fotográfica e os jogos sensoriais prosseguem abertos para visitação durante todo o mês de dezembro.

Fotos: Ruan Alves

Facebook Twitter Google+ Email Addthis
DEPUTADOS