Por Emerson Renon
16/06/2020 - 16:22:57 - atualizado em 18/06/2020 às 17:40:01

TV Assembleia pode transmitir conteúdos para alunos da rede pública de ensino

02

A Secretaria Estadual de Educação (Seed) e Assembleia Legislativa deram prosseguimento, nesta terça-feira (16/6/2020), às discussões sobre um possível acordo para que a emissora de televisão da Casa Legislativa possa exibir as teleaulas da "Programação Educativa", da Seed. O primeiro aceno foi dado no dia 4 de maio, data em que a Seed encaminhou documento ao legislativo solicitando a parceria.

A procura pela emissora é uma medida para manter o calendário escolar do ano letivo de 2020. O presidente da Assembleia, deputado Kaká Barbosa (PL), é totalmente favorável à parceria. Para o chefe do Legislativo, o envolvimento da TV Assembleia vai possibilitar a chegada dos conteúdos a milhares de estudantes, principalmente, aos que têm dificuldade de acesso à internet.

Com o aval do presidenteKakáBarbosa, três encontros ocorreram em busca do melhor caminho para garantir aos estudantes o direito de ter acesso aos conteúdos produzidos pela Secretaria Estadual da Educação. Os debates avançaram e nesta terça-feira, a representante da Rede Legislativa de Rádio e TV, Marli Mafalda, o deputado Paulo Lemos (Psol), representando o presidente do legislativo, deputado Kaká Barbosa (PL), e a e a secretária adjunta de Política da Educação, Neurizete de Oliveira Nascimento, sentaram para alinhar as transmissões dos conteúdos.

Ficou acertado que nos próximos dias, a secretaria deve encaminhar à Rede Legislativa de Rádio e TV um conteúdo para que a emissora possa fazer os primeiros testes de transmissão. Caso, tudo ocorra bem, Secretaria Estadual da Educação e Assembleia devem fechar um Acordo de Cooperação Técnica para a exibição do conteúdo e definir a data para a primeira transmissão.

Suspensão das aulas

As aulas presenciais da rede pública de ensino estadual estão suspensas até o fim deste mês. A medida é para prevenir e evitar a disseminação da Covid-19. Para minimizar os impactos na aprendizagem dos alunos, a SEED adotou estratégias para a oferta de atividades pedagógicas não presenciais.

Uma delas foi a Escola Virtual, do Sistema Integrado de Gestão da Educação (SIGEduc), que pode ser acessado pelo professor, estudante e coordenação pedagógica. A plataforma, que possui ambiente interativo para disponibilização de materiais, vídeos, realização de fóruns, chats e web conferência, foi alvo de críticas, principalmente, pela dificuldade de acompanhar o conteúdo, já que algumas regiões não têm acesso à internet.

Por conta disso, a secretaria busca outra estratégia para ampliar as possibilidades de oferta das atividades para os estudantes que não contam com acesso à internet. Uma dessas é fechar um acordo com a Assembleia para gerar, por meio da TV Legislativa, as transmissões dos conteúdos produzidos pela Seed.

Fotos: Divulgação

Facebook Twitter Google+ Email Addthis
DEPUTADOS