Por Everlando Mathias
02/08/2020 - 17:20:26 - atualizado em 17/08/2020 às 16:03:23

Procuradoria da Mulher solicita informações sobre o caso da jovem assassinada em Santana

04

A morte da jovem Raiane Miranda de Almeida, 20 anos, é mais um caso de feminicídio que será acompanhado pela Procuradoria Especial da Mulher da Assembleia Legislativa, que protocolou no final da manhã deste domingo (02/8/2020), oficio junto à 1ª Delegacia de Polícia Civil de Santana (AP), onde solicita informações e cópia do boletim de ocorrências, além do depoimento dos envolvidos no caso, ocorrido na noite do dia 31 de julho deste ano, no município.

Raiana Miranda foi assassinada a golpes de faca. O suspeito é o ex-namorado, George Ellena Oliveira, 26 anos. A provável causa é o fim do relacionamento, ocorrido há menos de um mês. Segundo os parentes da vítima, George era ciumento e não deixava a jovem trabalhar como operadora de caixa.

"O esclarecimento se faz necessário, tendo em vista um dos pressupostos desta procuradoria que é a fiscalização, bem como a manutenção e cumprimento das medidas legais de proteção à mulher, sem qualquer tipo de distinção. É mais uma tragédia, mais um crime bárbaro, que não pode ser aceito pela sociedade", destacou a deputada Cristina Almeida (PSB), que estava acompanhada da parlamentar Aldilene Souza (PPL) e do deputado Jory Oeiras (DC), presidente da Comissão de Segurança Pública da Alap.

"Estamos tomando as providências necessárias para deixar o inquérito pronto o mais rápido possível e enviar ao Judiciário?, esclareceu o delegado Yuri Agra, responsável pelo caso, que agradeceu o apoio dos militares do 4º Batalhão da Polícia Militar de Santana, no trabalho de captura do suposto assassino, que já está no Instituto de Administração Penitenciário do Amapá (Iapen).
05
Membros da Procuradoria Especial da Mulher, estiveram na residência da família da jovem, e colocaram-se à disposição para ajudar com apoio psicológico e jurídico.

"Estamos com dor, mas queremos justiça. Ele tirou um pedaço de nós, acabou com nosso sonho e o dela", desabafou a mãe, Clene Ferro Miranda, que agradeceu o apoio da Assembleia Legislativa, por meio da Procuradoria da Mulher.

"Até quando vamos continuar assistindo essa violência contra as mulheres?", questiona a deputada Aldilene Souza. "Não temos palavras para expressar os nossos sentimentos aos familiares e amigos. Muito respeitosamente, prestamos as nossas condolências e deixamos os nossos mais sinceros pêsames. Reforçamos que não vamos nos calar enquanto as mulheres continuarem sendo vítimas da violência", finaliza a deputada.

Fotos: Gerson Barbosa

Facebook Twitter Google+ Email Addthis
DEPUTADOS